Mensagem: Procura-se uma igreja

PROCURA-SE UMA IGREJA

Efésios 4.1-7 A unidade do corpo de Cristo: Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam. Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo. (…) 8b que deu dons aos homens.
11-16. E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo. O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função.

INTRODUÇÃO

Nosso tema de hoje é procura-se uma igreja. Procura-se não um pastor, mas uma igreja que seja digna de sua vocação; que desenvolva a comunhão entre os irmãos, que seja unida em Cristo, madura espiritualmente e que desenvolva seus dons espirituais.
IGREJA: é a expressão mais alta da vontade de Deus nesta era, pois Cristo a comprou com seu próprio sangue.
Igreja é uma congregação local de pessoas regeneradas e batizadas após profissão de fé.
A igreja foi fundada por Cristo: Em Mateus 16.17-18, Pedro responde a Jesus: Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo e Jesus afirma: Sobre esta pedra edificarei a minha igreja e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela.

O que é a Igreja?

Para alguns é a sala de espera do céu!!! Para outros é seu lugar favorito de atividades e lazer. Para outros mais é um lugar de reunião com pessoas que falam a mesma língua. Para líderes gananciosos, infelizmente, é uma empresa que pode lhe render lucros ou lhe pode fornecer um bom emprego.
O apóstolo Paulo usa várias expressões para se referir a igreja: campo de Deus; o corpo vivo de Cristo; morada de Deus; edifício vivo (templo do Pai).
A igreja é um exército sob o comando de um rei.
A igreja pode ser um fator terapêutico na sociedade, capaz de levantar toda uma nação a um nível superior da vida sadia.
Igreja não é uma instituição humana, mas sim um corpo chamado para um relacionamento especial com Deus.
Segundo Stedman: “a igreja é a mais poderosa força sobre a terra”.
Por que então essa série crise de identidade que as igrejas enfrentam?
Porque as igrejas esquecem-se de sua verdadeira vocação: testemunhar de Cristo, revelar ao mundo a glória do caráter de Deus, como se encontra na face de Cristo. As igrejas atuais esquecem-se de voltar aos princípios. Esquecem-se do fundamento inabalável no qual foram edificadas. Quando não se tem bons resultados em uma montagem, o certo é voltar às instruções. São os fundamentos cristãos, as bases bíblicas, os ensinos do evangelho que devem nortear e caracterizar as verdadeiras igrejas cristãs.
NIETZSCHE, ATEU CONFESSO, CHEGOU A DECLARAR QUE ACREDITARIA NA SALVAÇÃO DOS CRISTÃOS, SE ESTES VIVESSEM COMO PESSOAS SALVAS. GANDHI DECLAROU: EU ADMIRO CRISTO, MAS NÃO O VOSSO CRISTIANISMO.
O trigo (cristianismo verdadeiro) deve tornar-se tão forte que sobrepuje e enfraqueça o joio, para que este não exerça sua intenção maligna. A santificação, a comunhão com Deus, a leitura de Sua palavra são caminhos a serem trilhados pelos cristãos para se parecerem mais com Cristo, para serem trigo e não joio.
Hoje as igrejas evangélicas atravessam séria crise. Não ouvíamos falar de evangélicos não praticantes, este termo pertencia somente aos católicos. Mas, hoje proliferam aos milhares membros de igrejas que não tem compromisso com o reino de Deus e com sua igreja local: são os evangélicos não praticantes. Pessoas que por ignorância ou rebeldia vivem num extremo egoísmo e desinteresse pelos outros. É possível isso? Ser cristão sozinho? Ser cristão e não praticar o evangelho de Cristo? Não desfrutar da comunhão com os irmãos? Não chorar com os que choram, não se alegrar com os que se alegram, exortar, orar uns pelos outros, suportar as cargas etc.
No início de 2000 muito foi falado sobre o cristianismo. Afinal, completava-se dois mil anos do nascimento de Cristo, personagem principal da história que a dividiu em antes dEle e depois dEle. As revistas Veja, Seleções, Isto é e outras destacaram a religião cristã e um leitor escreveu para uma delas dizendo: Neste novo milênio, o Cristianismo terá pelo menos 3 grandes desafios: eliminar a idolatria da Igreja Católica; desarticular os que negociam com a fé no arraial protestante e ESTABELECER UM IRREFUTÁVEL TESTEMUNHO DE VIDA QUE REFLITA OS ENSINAMENTOS DE JESUS.
Creio que se os cristãos tiverem um irrefutável testemunho de vida que reflita os ensinos de Cristo, não se curvarão à idolatria e nem tampouco negociarão com a fé.
Portanto, acredito que a busca desesperada deste mundo pós- moderno é por uma igreja verdadeiramente cristã, que viva de maneira digna da vocação que recebeu.

1 – PROCURA-SE UMA IGREJA QUE VIVA DE MANEIRA DIGNA DA VOCAÇÃO QUE RECEBEU:

Ser cristão é coisa séria. É ter Cristo como Senhor. Em Efésios 4. 1, Paulo roga que os cristãos andeis como dignos da vocação que receberam. Ser cristão é ser vocacionado. É para poucos verdadeiramente comprometidos e dedicados à sua vocação de servir ao Mestre. Ser digno da vocação é expressão reforçada por Paulo em 1ª Ts 2.12 que afirma ter consolado, exortado e testemunhado para que os irmãos vivessem de maneira digna de Deus, que os chamou para o Seu reino e glória.
Deus chamou e vocacionou sua igreja para o Seu reino e glória.

Em 1 Colossenses 1.10, mais uma vez o apóstolo reforça a palavra digno, dizendo que não cessa de orar: Para que vivam de maneira digna do Senhor e em tudo possam agradá-lo, frutificando em toda boa obra, crescendo no conhecimento da vontade de Deus. No versículo 12 ele torna a enfatizar que dá graças ao Pai, que nos tornou dignos de participar da herança dos santos no reino da luz.
DIGNO: HONRADO, MERECEDOR DE RESPEITO, ADEQUADO.
PROCURA-SE UMA IGREJA QUE VIVA DE MANEIRA DIGNA, DIANTE DE DEUS E DO PRÓXIMO, QUE HONRE SUA VOCAÇÃO, QUE FRUTIFIQUE EM TODO O TEMPO E TODO LUGAR. QUALQUER PESSOA PODE RESPEITAR O DOMINGO, MAS TORNÁ-LO SAGRADO CERTAMENTE TOMA O RESTO DA SEMANA.

É fácil ser cristão no domingo, no templo, mas a igreja verdadeiramente cristã, que vive de maneira digna, é cristã, principalmente de 2ª à sábado.
Ser digna de sua vocação: Qual é essa vocação: ser testemunha de Cristo, que conta o que lhe aconteceu e demonstra através de seu comportamento sua mudança de vida, sua regeneração, provando que é nova criatura.
É a essa igreja verdadeiramente cristã que o apóstolo Paulo dedica suas cartas e instrui com seus conselhos e doutrinas. E assim como João, o apóstolo do amor, ele ensina que a igreja deve testemunhar de Cristo, vivendo em comunhão e amor.

2 – PROCURA-SE UMA IGREJA QUE VIVA EM COMUNHÃO

Quando Glória, minha filha na fé, converteu-se uma das primeiras coisas que ela me disse foi de seu desapontamento com o centro espírita Alan Kardec, do qual participava. Ela afirmou: Eu trabalhei 7 anos lá e depois que sai não recebi sequer um telefonema e também descobri que nem tenho contato com ninguém de lá. Pode-se explicar porque lá é um centro espírita, não uma igreja de Cristo que é reconhecida pelo amor uns aos outros: Nisto conhecerão que sois meus discípulos se tiverdes amor uns aos outros.
Há duas semanas estava fazendo palestras em um acampamento de senhoras em Londrina e uma senhora que se converteu também reclamou da mesma coisa: Eu fui ministra da eucaristia por vários anos e quando fiquei doente (ela sofre de transtorno bipolar que se manifestou após o parto) ninguém lá da igreja veio me visitar.
O que diz o texto lido: Tenham consideração para com os que se esforçam no trabalho entre vocês, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos. Sejam sempre bondosos…
Eu citei exemplos de outras comunidades ou igrejas, mas, infelizmente, isto não quer dizer que sejamos diferentes delas. Deveríamos ser, alguns de nós são, mas muitos não se preocupam em desenvolver comunhão com os irmãos.
O conselho de Paulo, aos cristãos da época, encontra-se no verso 2: Sejam completamente humildes, dóceis, pacientes, suportando com amor.
Oh quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em comunhão!
O maior sinal da vida de Jesus dentro do cristão é o amor: amor que aceita os outros como são, que é compassivo, tolerante, que perdoa, procura evitar mal entendidos e procura evitar diferenças de opiniões que dividam os cristãos entre si, pois o amor se preocupa em manter a unidade.

3 – PROCURA-SE UMA IGREJA MADURA: unida na fé e no conhecimento de Cristo

v. 4: esforcem-se diligentemente em preservar a unidade do Espírito, no vínculo da paz.
O amor se preocupa em preservar, manter a unidade. SÓ SE MANTEM O QUE JÁ EXISTE, JÁ EXISTE UNIDADE NO ESPÍRITO E ELA DEVE SER PRESERVADA.
O amor de uns pelos outros é a marca do cristão, pois nisto são reconhecidos com discípulos de Cristo (João 13.35), assim também a unidade dos membros de uma igreja transmite a mensagem cristã: Jesus orou: A fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. João 17.21
Como é importante a unidade. A unidade dos cristãos é testemunho para o mundo de que Deus enviou Jesus.
Deve-se buscar a unidade, mesmo na diversidade.
Os membros são diversos, mas o corpo é um só. Os pensamentos são diferentes, mas o sentimento em Cristo é um só.
Pensamos diferente, nossas idéias são diferentes, uns são mais racionais e objetivos, outros mais sensíveis e divagadores, uns gostam do amarelo e outros do vermelho, porém quando a igreja está unida no ES, a preocupação principal do membro da igreja é o que é melhor para a igreja como um todo, sem individualismos, sem preferências pessoais, mas no temor a Deus e no desejo do crescimento da igreja, preocupa-se menos consigo mesmo e mais com seus irmãos na fé.

O crente maduro espiritualmente não leva para o campo pessoal diferenças de opiniões, não considera que o irmão A não gosta dele porque tem um pensamento diferente, não considera que o irmão B está contra ele só porque prefere que as coisas sejam conduzidas de outra maneira.
É a unidade na diversidade. Somos diversos, somos diferentes, mas em Cristo somos um: uma só fé, um só batismo, um só Senhor a quem devemos obediência.
A diversidade entre os irmãos, quando bem entendida e trabalhada serve de benção à Igreja. Quando os dons espirituais dados por Deus encontram espaço para serem desenvolvidos a igreja é edificada. Não é mais a igreja do Pastor fulano, mas sim a igreja, corpo de Cristo, onde todos trabalham e edificam-se uns aos outros.

 

4 – PROCURA-SE UMA IGREJA QUE SE EDIFICA A SI MESMO NA MEDIDA EM QUE CADA PARTE REALIZA A SUA FUNÇÃO.
v. 11-16

Procura-se uma igreja que não seja um monstro.
Quando a igreja se torna um monstro? Quando uma mão é maior que a outra (um único membro exerce vários ministérios), um pé é menor que o outro, a boca ocupa todo o rosto, ao invés de dois olhos tem apenas um, etc…
Quando os dons não são desenvolvidos, a igreja não é edificada e o corpo não funciona perfeitamente, ficando doente, causando ao invés de bênçãos ao redor, mau cheiro e podridão. Igreja monstro não conquista almas para Cristo, não atrai vidas para o serviço, pelo contrário, assusta e afasta as pessoas.

O pastor da Igreja da Irmandade, Marcos Inhauser, em sua pesquisa para o doutorado descobriu que: 60,2% membros igrejas evangélicas desconhecem seu dom espiritual;
10,8% sabem quais são, mas não atuam de acordo com seus dons e 71% não sabem ou não atuam de acordo com seus dons espirituais. Entre os líderes: 35,6% não sabem quais são seus dons.

Como as igrejas podem ser maduras espiritualmente e ter profundidade no conhecimento da Palavra de Deus quando membros da igreja atuam fora de seus dons? Mesmo com boas intenções, prestam desserviço à comunidade porque muito de seu trabalho é feito na força da carne e não “segundo o Espírito”.

A igreja é um corpo destinado a expressar através de cada membro, individualmente, a vida de um Senhor que nele habita. Todo cristão possui dom espiritual, todo cristão é capacitado para a obra de Deus pelo próprio Deus. Portanto, uma igreja que não entende isso e, ao invés de usar as pessoas capacitadas por Deus, utiliza-se de métodos de negócios, processos organizacionais, pressão mundana para realizar seu trabalho tende ao fracasso espiritual.
Não é o cargo que dá ao crente o poder ou o direito para qualquer trabalho na igreja, mas sim a capacitação, o dom espiritual dado por Deus.

CONCLUSÃO

Queridos irmãos vamos edificar uns aos outros,  vamos ser unidos na diversidade, vamos colocar de lado preferências pessoais e pensar mais no bem da igreja como um todo. Vamos apoiar nossos irmãos, vamos ser humildes e amorosos, entendendo que precisamos ser uma igreja digna da vocação a que foi chamada, uma igreja que desenvolve a comunhão entre os irmãos, uma igreja unida na diversidade e uma igreja onde há espaço para o desenvolvimento dos dons espirituais de todos os seus membros.

Uma igreja assim será bênção para qualquer pastor, transformará a sociedade ao seu redor com seu testemunho de vida e proporcionará crescimento espiritual em seu meio.
Lembrem-se: onde há o Espírito de Deus, há liberdade! E lembrem-se também somos conhecidos como discípulos de Cristo pelo amor e pela unidade.
Deus nos abençoe!