Poesia: Adormeceu em mim

Adormeceu em mim
Meu ingênuo romantismo
Que acreditava no amor galante
Repleto de companheirismo!
Morreu a adolescente romântica.
Está enterrada a jovem que sonhou
Chorem por ela, poetas
Cresceu e se desencantou!

Adormeceu em mim
A fé na humanidade
Ao contemplar a violência
E tanta incredulidade!
Os homens mataram a fé
Dentro de si mesmos e, com temor,
Geme e sofre a terra
Sumiram a esperança e o amor!

Adormeceu em mim
Na igreja a confiança
Pois não pratica mais o amor
Tendo péssima liderança!
A igreja não é mais relevante?
Não cumpre mais seu papel?
Que faz com ela seus ministros,
Afastando-a do céu?
Até meus pés adormeceram
E permanecem dormentes
Tirando-me a disposição
De batalhar como crente!
Dor na alma, dor no corpo
Dor que não se acalma
Não sei quem sofre mais
Se meu corpo ou se minha alma!

Adormecida e fraca
Mas, forte por minha fé
Que enxerga o invisível
Crê no impossível e permanece de pé!
Cuidando do bem do espírito
Em pensamento, subindo aos céus.
Entrando na academia da alma e
Somente olhando para Deus!

Não adormeceu em mim
A alegria no Senhor, minha companhia.
A fé em Sua misericórdia
A confiança em Sua soberania!
Só isto me importa
Crer em Deus e em Jesus
Caminhar segura ao Seu lado
Trilhar o caminho da cruz!

 

Não adormeceu em mim
Pelo céu um grande anseio.
Lá é meu verdadeiro lar
Meu refúgio verdadeiro!
Céu. Lindo céu!
Espera-me um lugar eternal
Quanto almejo alcançá-lo
E descansar afinal!